Clientes Sekron
  Esqueci a Senha
Conheça nosso site Institucional ›

Saiba quem são os 25 mais procurados pela Polícia Civil de SP

 

Maria do Pó é a única mulher a figurar na lista dos mais perigosos.
Roger Abdelmassih é mais velho; SP tem 150 mil mandados de prisão.

Kleber Tomaz Do G1 SP

Delegado Waldomiro Milanesi, da Divisão de Capturas, mostra um dos 25 mais procurados pela Polícia Civil de São Paulo (Foto: Kleber Tomaz / G1)

Vinte e cinco pessoas – 24 homens e uma mulher – aparecem na lista dos mais procurados pela Polícia Civil de São Paulo. Muitos deles são considerados os mais perigosos do estado, de acordo com a Divisão de Capturas do Departamento de Identificação de Registros Diversos (Dird).

Os principais procurados são suspeitos, acusados, condenados e foragidos envolvidos em crimes graves, como assassinatos, sequestros, estupros, assaltos e tráfico de drogas. Eles tiveram suas prisões decretadas pela Justiça paulista, mas ainda não se entregaram ou nem sequer foram encontrados pelas equipes policiais de busca que tentam cumprir os mandados de prisão.

Alguns desses casos tiveram repercussão por conta da cobertura da mídia e levaram uma fama indesejada a seus protagonistas, que acabaram com seus rostos divulgados na TV, internet e jornais, passando  a ser conhecidos pela sociedade. Por esse motivo, a polícia acredita que alguns dos procurados podem estar fazendo de tudo para não ser descobertos. Desde usar esconderijos em outros estados ou fugir do país, disfarces, mudanças de identidade e até cirurgias plásticas.

Entre os principais procurados há um rosto famoso, como o do ex-médico Roger Abdelmassih, condenado a 278 anos de prisão por abuso sexual. E um retrato conhecido, como o do advogado Mizael Bispo de Souza, acusado de agredir e matar a ex-namorada, a advogada Mércia Nakashima. Assim como a maioria dos procurados, eles negam os crimes e alegam inocência.

De acordo com o delegado chefe da Divisão de Capturas, Waldomiro Pompiani Milanesi, o critério para definir os principais procurados se baseia no tipo de crime que eles respondem.
“Priorizamos agora as buscas àqueles que tenham envolvimento com homicídios, latrocínios [roubo seguido de morte], crimes sexuais, sequestros e tráfico de entorpecentes”, afirmou o divisionário, que disponibiliza informações sobre os mais procurados no site da polícia paulista.

‘Maria do Pó’
Única mulher a figurar entre os 25 mais procurados do estado, Sônia Aparecida Rossi, ou simplesmente a ‘Maria do Pó’, tem sua foto e dados divulgados na página da instituição. Ela é apontada como a principal criminosa do estado de São Paulo. Condenada a  54 anos e oito meses de prisão por tráfico de drogas, fugiu da Penitenciária de Santana, na Zona Norte da capital paulista, em março de 2006 e passou a ser procurada como foragida.

‘Maria do Pó’, atualmente com 50 anos de idade, conquistou fama na crônica policial em 1999, quando foi envolvida no sumiço de 340 quilos de cocaína do IML (Instituto Médico-Legal) de Campinas, no interior. A droga era avaliada em R$ 400 mil na época.

Sequestradores de Celso Daniel e Washington Olivetto
Outros procurados têm relação com casos emblemáticos, como Elcyd Oliveira Brito, o ‘Jonh’, condenado pelo sequestro e assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel (PT), em 2002. O sentenciado de 31 anos é fugitivo de uma unidade prisional em Pacaembu, no interior, em 4 de agosto de 2010, onde cumpria pena em regime semiaberto.

Entre os principais procurados também estão os sequestradores do publicitário Washington Olivetto, em dezembro de 2001. O chileno Marco Rodolfo Rodrigues Ortega, de 37 anos, e o colombiano Willian Ganoa Becerra, de 40, condenados a 30 anos pelo crime, cumpriam pena na Penitenciária de Itaí, no interior, para onde não voltaram mais após receberem o benefício da saída temporária em 11 de outubro de 2010.

Casos de estupro
Três dos mais procurados aparecem envolvidos em crimes sexuais. O mais conhecido deles é o ex-médico Roger Abdelmassih, especialista em reprodução humana. Foi condenado a 278 anos de prisão por estupro de suas pacientes, apesar de se dizer inocente. Apesar do decreto e do mandado de prisão contra ele, ainda não se apresentou ou foi capturado.

Outro que aparece como procurado por estupro é Manoel Lopes de Araújo, de 43 anos. Ele é suspeito de abusar e também sequestrar uma menina de 8 anos para fins sexuais em 2010. A criança era mantida em cárcere dentro de um guarda roupas e escapou após avisar a Polícia Militar pelo número de telefone 190.

Mais recentemente, a polícia colocou no seu site oficial a foto de Edson Bezerra de Gouveia, de 35 anos, chamado ‘Gigante’ ou ‘Buda’ por causa dos seus mais de 2 metros de altura. Ele é suspeito de estuprar e assassinar a vendedora Vanessa de Vasconcelos Duarte, de 25 anos. O corpo dela foi achado em 13 de fevereiro em Vargem Grande Paulista, na Grande SP.

Casos do músico e Mércia
Em se tratando de crimes passionais, o que teve mais apelo na mídia foi o caso Mércia. Mizael Bispo de Souza, 41, e o vigia Evandro Bezerra Siva, 39, são réus no processo no qual estão sendo acusados de matar a advogada Mércia Nakashima em 2010. A Justiça decidiu levar os dois a julgamento popular pelos crimes. Eles negam a autoria, mas continuam escondidos e são procurados.

Procurado desde novembro de 2008 pela morte da ex-namorada, o músico Evandro Gomes Correia Filho, 37, chegou a causar revolta na polícia quando convocou a imprensa para uma entrevista fantasiado como o cantor Raul Seixas durante o período eleitoral em outubro do ano passado. Usando peruca e barba postiças, além de óculos escuros, ele deu entrevista e não pôde ser preso porque a lei eleitoral não permitia prisões no período, salvo prisões em flagrantes. 

Sala de arquivos com mandados de prisão da Divisão de Capturas (Kleber Tomaz/G1)

Perfil dos mais procurados e dados
Alguns dos 25 mais procurados pela polícia paulista estão envolvidos em 19 casos de assassinatos, quatro sequestros, três estupros, dois assaltos, dois tráficos de entorpecentes e um latrocínio.

Oito deles são condenados fugitivos de unidades prisionais no estado de São Paulo. Quinze são paulistas e três, estrangeiros. O mais velho é Abdelmassih, com 67 anos, e o mais novo Diego Fernando Mendes, de 26.

De acordo com dados estatísticos da Secretaria da Segurança Pública, São Paulo tinha 152.168 mandados de prisão a cumprir até o dia 28 de fevereiro deste ano. Como uma mesma pessoa pode ter vários mandados contra ela, não é possível se determinar, ainda, quantas pessoas são procuradas no estado.

Dentre os mandados de prisão pendentes de cumprimento em São Paulo, 123.400 são referentes a questões criminais e outros 28.768 mil a condenações na esfera cível.
Só na capital, há 23.243 mandados judiciais ainda não cumpridos, enquanto no interior paulista o total de ordens de prisão ainda não executadas chega a 65.657. Há também, 34.500 ordens comunicadas por outros estados pendentes de solução.

Por esse motivo, a Divisão de Capturas iniciou há dois meses um mutirão para cumprir os mandados pendentes. “Estamos fazendo um mutirão para cumprir esses mandados. Alguns são de mais de 20 anos atrás e já prescreveram, outros são contra pessoas que já morreram ou estão presas por algum crime. Pedi uma auditoria para fazer uma triagem dos casos dos últimos 20 anos, de 1991 para cá. Tem mandados dos anos de 1970 e casos de pessoas que nasceram em 1906 e são procuradas. Essa pessoa teria 105 anos hoje”, disse o delegado Waldomiro Milanesi.

A Divisão de Capturas também estuda uma parceria com os responsáveis pelos retratos falados para fazer um tratamento de envelhecimento dos rostos dos procurados nas fotos. No site da polícia também estão os retratos falados de pessoas que são procuradas e fotos de desaparecidos.

Tenta parceria com o Tribunal de Justiça de São Paulo e as secretarias da Segurança Pública e da Administração Penitenciária para que o mandado de prisão seja comunicado de forma online pela internet. Isso evitaria um trâmite que leva, em média, até uma semana, da expedição do decreto da prisão pela Justiça até o comunicado à Divisão de Capturas.

Correndo contra o tempo, Milanesi afirmou que pretende desencadear mais operações para cumprir os mandados de prisão. Nos últimos meses, ele montou uma força tarefa com seus 40 policiais para cumprir mandados pendentes envolvendo procurados por latrocínio. “Cumprimos 27 dos 57 mandados de prisão expedidos em 2009 e 2010”.

A polícia pede para quem tiver alguma informação sobre o paradeiro dos procurados citados nessa matéria ligar para os números de telefone: 181 (Disque –Denúncia), 197 (Polícia Civil), 190 (PM) ou mandar um email para procurados@policiacivil.sp.gov.br.

  1. Nenhum comentario ainda

  1. Nenhum trackback ainda.