Clientes Sekron
  Esqueci a Senha
Conheça nosso site Institucional ›

Posts Tagged ‘ Assaltante

Preso chefe de quadrilha que atuava no Morumbi

A quadrilha invadia as casas e torturava as vítimas para roubar. Emerson Rodrigo Rezende dos Santos foi preso no bairro de Campo Limpo. Ele trocou tiros com policiais para tentar fugir.

Fonte: G1

Quatro são presos após bando assaltar agência bancária na zona leste de SP

Ação durou cerca de 10 minutos; vigilantes foram rendidos após três criminosos entrarem no banco com armas falsas

Ricardo Valota, do estadão.com.br

SÃO PAULO – Quatro bandidos foram presos, no final da tarde de quarta-feira, 17, após uma quadrilha, com pelo menos 12 homens, assaltar uma agência do Banco Santander localizada na Rua Hipólito de Camargo, na Vila Lourdes, região de Guaianazes, na zona leste de São Paulo.

A agência estava prestes a fechar quando o primeiro criminoso entrou, às 15h53. O segundo, às 15h55; o terceiro, às 15h56, todos escondendo armas de brinquedo, que não foram detectadas pelo sistema da porta giratória. O quarto assaltante, simulando ser um cliente atrasado, para distrair os vigilantes, começou a bater no vidro exigindo que a porta giratória fosse destravada.

Naquele momento, os três criminosos, portando as falsas armas, renderam os dois seguranças e iniciaram o assalto. Havia cerca de 20 funcionários na agência e poucos clientes. Parte dos demais assaltantes também invadiu a agência e outra ficou no hall dos caixas. Um dos bandidos que acabaram presos foi o único que permaneceu fora do banco e foi detido por policiais militares da Força Tática do 28º Batalhão, que desconfiaram do nervosismo do rapaz ao perceber a aproximação da viatura.

O segundo criminoso preso foi abordado pelos policiais ao deixar a agência correndo. Mesmo tentando se passar por cliente, alegando que havia sido assaltado e por isso corria, o assaltante foi desmascarado e detido. Os outros dois integrantes do bando foram presos após retornarem para a agência.

Um deles, no momento em que a primeira dupla já estava presa, ligou para o celular de um dos comparsas já algemado, mas foi atendido por um dos policiais. O policial, passando-se pelo criminoso, disse ao bandido que estava retido dentro da agência, cercada pelos policiais, e que ainda havia chance de ser resgatado.

A dupla então, em um Fiat Pálio, retornou para o local e foi presa. Os demais membros do bando fugiram levando mais de R$ 43 mil. A ação durou quase 10 minutos. Juntos, os quatro criminosos presos acumulam passagens por roubo (um deles a banco) e tráfico de drogas. O caso foi registrado na Delegacia Especializada em Roubos a Banco do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic).

Homens invadem centro de distribuição domiciliar dos Correios.

Os carteiros de Praia Grande estão apreensivos devido à onda de roubos que vêm sofrendo nos últimos dias. Nesta segunda-feira, mais dois entregadores foram assaltados e, no sábado, o Centro de Distribuição Domiciliar (CDD) da Vila Caiçara foi invadido para subtração de encomendas.

Por volta das 9h30 de sábado, três homens encapuzados e armados invadiram o CDD, renderam de 10 a 15 carteiros e funcionários e saquearam as encomendas que lhes interessavam.

Enquete: na sua opinião, o que deve ser feito neste caso?

Durante a investida, um assaltante chutou uma vítima para que ela não o visualizasse. Boa parte dos funcionários foi trancada em um banheiro. Os pacotes roubados foram colocados em um carro dos próprios marginais, cuja placa não foi anotada.

“Os ladrões foram direto para o objetivo deles”, disse Márcio Anselmo Farina, diretor de Relações Sindicais do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios da Baixada Santista e do Vale do Ribeira. Ainda conforme Farina, os marginais nem passaram por perto das correspondências sem valor.

Roubos frequentes
De julho do ano passado até agora já são aproximadamente 40 roubos contra carteiros em Praia Grande. Só na última sexta-feira houve três casos. A preocupação aumenta porque os ataques também ocorrem em bairros da orla, e não apenas na periferia.

Os ladrões têm interesse pelos talões de cheques e cartões de crédito e bancários transportados, porque eles podem ser usados em estelionatos. Além disso, nos malotes dos Correios são colocadas encomendas valiosas, como relógios, perfumes importados e aparelhos eletrônicos.

O diretor do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios, Márcio Farina, anunciou nesta segunda-feira que a categoria poderá paralisar as suas atividades em Praia Grande por um dia, se providências não forem adotadas. “Será uma forma de protestar e exigir uma solução para o problema”, justificou.

Porém, a greve ainda não tem data definida e, se ocorrer, será antecedida de uma comunicação prévia aos Correios e à população. Na sexta-feira, conforme Farina, as diretorias do sindicado e dos Correios na região se reuniram para discutir a série de assaltos.

“Propusemos várias ações para inibir as ações dos assaltantes e garantir maior segurança aos carteiros”, declarou Farina. Uma das medidas sugeridas é a imediata suspensão de entregas de talões de cheques e cartões de crédito. Outra consiste em providenciar a escolta de empresas terceirizadas de segurança aos carteiros que trabalham em áreas mais críticas.

De acordo com o sindicalista, em locais da Capital considerados de risco, os carteiros contam com esse tipo de proteção. O delegado Luiz Evandro de Souza Medeiros, do 1º DP de Praia Grande, determinou aos seus policiais um minucioso mapeamento dos roubos para desencadear uma repressão mais eficaz contra os crimes.

Correios
Por intermédio de sua assessoria de imprensa, em São Paulo, os Correios informaram que estão adotando várias ações para minimizar a incidência de roubos, entre as quais reuniões com a Secretaria de Segurança Pública, com a Superintendência da Polícia Federal, com a Polícia Militar e com o Departamento de Investigações contra o Crime Organizado (Deic).

Outras medidas adotadas, conforme a estatal, são operações conjuntas com os órgãos de Segurança Pública e ações junto ao Procarga (Programa de Combate ao Roubo de Carga do Estado de São Paulo).

Eduardo Velozo Fuccia – A Tribuna

Ladrão toca campainha para assaltar casa em SP

Morador não atendeu a porta e assaltante abordou vizinho.
Na fuga, criminoso furou bloqueio e atingiu carro da PM.

Do G1 SP

Um ladrão tocou a campainha para assaltar uma casa no Brooklin, na Zona Sul de São Paulo, nesta terça-feira (12). O morador desconfiou e não atendeu a porta. Com isso, o criminoso resolveu roubar o vizinho, que estava entrando na garagem. O assaltante invadiu a casa dele e fez a família refém.

A polícia foi chamada e cercou a área. Houve negociação, mas o ladrão conseguiu sair com a caminhonete das vítimas. Ele furou o bloqueio, bateu no carro da Polícia Militar e em veículos que estavam na rua.

Depois, roubou outro carro e fugiu. Ninguém ficou ferido na ação. Até as 7h desta quarta (13), o assaltante não havia sido preso.

SP: preso faz ameaças à vítima de dentro de presídio

Gravações revelam ameaças feitas por um preso de dentro da cadeia; assaltante intimida uma de suas vítimas por telefone.

Fonte: Terratv

‘Fiz por necessidade’, diz jovem que confessou morte de aluno da USP

Ele se apresentou à polícia e irá responder em liberdade pelo latrocínio.
Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, foi morto em 18 de maio no campus.

Carolina Iskandarian
Do G1 SP

Jovem que confessou nesta quinta-feira morte de estudante da USP (Foto: Carolina Iskandarian/G1)

Jovem que confessou nesta quinta-feira morte de estudante da USP (Foto: Carolina Iskandarian/G1)

O jovem Irlan Graciano Santiago, de 22 anos, confessou durante uma coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (9) na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) que matou o estudante Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, em 18 de maio dentro do campus da Universidade de São Paulo (USP). “Fiz por necessidade. Meu filho estava com falta de leite, de fralda. Eu me arrependo”, afirmou. Na presença do advogado e de policiais, Santiago contou que ele e um “parceiro” participaram do assalto e que o estudante foi baleado porque reagiu.

O aluno foi atingido por um tiro na cabeça em um estacionamento da Faculdade de Economia e Administração (FEA), quando chegava em seu carro, que era blindado. “Se ele pegasse nossa arma, ia atirar em nós”, afirmou o rapaz, acrescentando que quem atirou foi o outro suspeito. Segundo o delegado Maurício Guimarães Soares, divisionário do DHPP, Santiago não revelou o nome do homem que estava com ele. O delegado contou ainda que, antes de atacar o universitário, a dupla tinha feito refém uma mulher dentro do campus.

O advogado do jovem, Jeferson Badan, confirmou que os dois circularam com a vítima dentro de um carro. “Eles circularam por uma hora com ela. A mulher os acalmou e pediu que não fizessem nada porque era deficiente”, disse. “A gente sentiu dó dela”, completou Santiago. Como precisavam fugir, os dois assaltantes escolheram outra pessoa para roubar o veículo. Santiago foi indiciado por latrocínio e, como se apresentou espontaneamente à polícia, responderá em liberdade. Ao final do inquérito, a polícia pedirá a prisão preventiva dele.

‘Bandido tem ética’

Questionado sobre o que levou Santiago a se entregar, o advogado disse: “mostrei a ele que a melhor coisa que faria era se apresentar”. Os jornalistas perguntaram por que o assaltante não entregou o outro suspeito e Badan alegou que “no crime, você não entrega parceiro”. Em seguida, perguntado, dessa vez, se havia ética no crime, não hesitou: “todo bandido tem ética”. Apesar de dizer que o rapaz estava passando por dificuldades financeiras, o defensor afirmou que isso não era justificativa para se cometer um crime.

Denúncias

Os policiais localizaram Santiago depois de “várias denúncias”, como disse o delegado. A polícia chegou a ir até a casa do rapaz, na Favela São Remo, vizinha à USP, a fim de tentar convencer os pais do criminoso a entregá-lo. Soares disse que o assaltante não tinha antecedentes criminais e que os quatro irmãos dele não têm passagem pela polícia.

De acordo com o delegado, o universitário foi escolhido “aleatoriamente”. O advogado do assaltante confirmou a informação, dizendo que “o Felipe foi o alvo fácil” e que a dupla escolheu a USP para cometer o crime porque lá é “grande e tem pouca segurança”.

Diante da imprensa, o delegado fez um apelo para que a mulher que foi vítima dos dois criminosos se apresente e ajude a dar pistas sobre o suspeito foragido.

Outros assaltos

Em entrevista na ocasião do crime, o pai do estudante, Ocimar Paiva, disse que o jovem já havia sido assaltado outras duas vezes dentro do ônibus e, por isso, havia comprado o carro blindado. “Eu falava para ele tomar cuidado, havia muito assalto pela região. Mas ele dizia que ‘não, não tem problema’”, contou o pai.

“Meu filho era um menino muito bom, gostava muito de estudar e trabalhar. Era um filho carinhoso em casa, tranquilo, não gostava de ir para a balada. O negócio dele era trabalhar, estudar e curtir a namorada”, disse a mãe de Felipe, Zélia Ramos. Segundo a família do rapaz, ele pretendia se casar após terminar a faculdade. Felipe tinha acabado de tirar passaporte internacional, e planejava viajar a lazer em breve, de acordo com a mãe do jovem.

Uma semana depois da morte, o estudante recebeu uma homenagem de amigos, professores e familiares. Cerca de cem pessoas se reuniram na Praça do Relógio, que fica próxima à reitoria da universidade. Os pais e a irmã de Paiva acompanharam a celebração.