Clientes Sekron
  Esqueci a Senha
Conheça nosso site Institucional ›

Posts Tagged ‘ Avenida Paulista

Policiamento é reforçado no feriado

Por Gio Mendes – Jornal da Tarde
Depois de monitorar as redes sociais e descobrir ameaças de novas brigas entre punks e skinheads, a Polícia Militar decidiu reforçar o patrulhamento na capital paulista durante as comemorações do Sete de Setembro. A medida foi tomada pela PM três dias depois do confronto entre as tribos urbanas na frente da casa noturna Carioca Club, na Rua Cardeal Arcoverde, em Pinheiros, zona oeste, que terminou com um punk morto e um skinhead gravemente ferido.

Como punks e skinheads costumam fazer manifestações no Sete de Setembro (os punks protestam contra o militarismo e os skinheads a favor do nacionalismo), a PM entrou em estado de alerta. “Nosso serviço de inteligência detectou na internet comentários de possíveis conflitos, mas nenhum deles marca horário e local exatos”, disse o capitão Moisés.

Uma das mensagens postadas no Facebook anteontem trazia o seguinte conteúdo: “Dia 7/9 tem mais, contando os dias”. O capitão Moisés informou que não podia divulgar o efetivo escalado para o Sete de Setembro. “Posso dizer que temos condições de deslocar as viaturas rapidamente para atuar nos locais onde os grupos de intolerância forem localizados”, disse o oficial, referindo-se aos skinheads neonazistas.

A PM vai acompanhar uma manifestação punk que está prevista para ocorrer às 11h de hoje. Os manifestantes devem se reunir em frente ao Teatro Municipal para sair em caminhada em direção à Câmara Municipal. A corporação também reforçará o patrulhamento nas imediações do Anhembi, onde ocorrerá o desfile de Sete de Setembro na zona norte, e do Museu do Ipiranga, na zona sul, caso skinheads apareçam nesses locais para comemorar a data.

A região da Avenida Paulista, que já foi palco de conflito entre as tribos urbanas, também receberá reforço no patrulhamento para evitar novos encontros dos grupos rivais. “Todo o policiamento da capital foi alertado, principalmente na área centro, já que muitos grupos se encontram por lá para seguir para outros locais da cidade”, afirmou o capitão Moisés.

Ladrões levam dez horas para roubar banco na Avenida Paulista

Quadrilha revirou e roubou 170 cofres de clientes.
Ladrões levaram dinheiro, joias e relógios de clientes.

Do G1 SP, com informações do Jornal da Globo

Uma quadrilha roubou dinheiro e joias de uma agência do banco Itaú, na Avenida Paulista, em São Paulo, em um roubo que começou no sábado (27) e terminou na manhã do domingo (28). A ação demorou dez horas. Só oito dias depois o caso veio à tona.

Para invadir a agência, eles quebraram uma porta de vidro. Dois homens entraram primeiro e dominaram um segurança. Outros dez assaltantes desceram até o subsolo do prédio.

A polícia já sabe que o alarme estava desligado e que os ladrões desligaram o botão de pânico, que poderia ser usado pelo vigilante para alertar a segurança.

Durante dez horas a quadrilha estourou os cofres. Segundo a polícia,170 cofres foram abertos e revirados. Dentro das gavetas havia dinheiro e objetos de valor. Uma caixa vermelha com joias foi deixada no chão.

Nem o banco e nem os clientes que alugavam os cofres informaram, em detalhes, o que foi roubado. A informação que chegou à policia é de que o prejuízo foi milionário.

O boletim de ocorrência consta que a ação começou dia 27 de agosto, um sábado, às 23h50, e só terminou domingo de manhã. A direção do banco não quis falar sobre o roubo.

Nesta segunda-feira (5), três clientes que alugavam cofres procuraram a polícia. Um homem, que não quer ser identificado, é cliente antigo do banco. Ele mantinha objetos de grande valor em um cofre. “Eu tinha joias de família, coleção de relógios, pedras de negociação que tinham há muitos anos”, disse.

Assista a matéria: http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2011/09/quadrilha-rouba-milhoes-em-dinheiro-e-joias-de-banco-em-sao-paulo.html

Grandes eventos fazem PM reforçar a segurança na capital paulista

Corpus Christi, Libertadores, Brasileiro e Parada Gay movimentam SP.
Serão quase 20 mil policiais militares espalhados pela cidade.

Do G1 SP

A Polícia Militar de São Paulo irá reforçar a segurança na capital paulista a partir desta quarta-feira (22) até domingo (26), quando irão ocorrer grandes eventos na cidade, como o feriado de Corpus Christi, com a saída dos motoristas para o litoral e interior do estado; o jogo final da Copa Libertadores da América; a Marcha para Jesus; uma partida pelo Campeonato Brasileiro; e a 15ª Parada do Orgulho LGBT.

Segundo informou a assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública do estado de SP, a PM reforçará o policiamento com 19,3 mil homens, 7,2 mil viaturas e seis helicópteros Águia durante esses cinco dias. Cães e cavalos com policiais militares também vão garantir a segurança da população.

As operações da PM terminarão à meia-noite de domingo (26), com o retorno dos paulistanos que forem passar o final de semana prolongado no litoral e no interior.

Libertadores
Nesta quarta (22), será realizada uma operação especial da PM com mais de 600 policiais para a decisão da Libertadores, entre as equipes de futebol do Santos e do Penãrol, do Uruguai, no Estádio do Pacaembu, na Zona Oeste da capital.

Serão mobilizados 321 policiais do Comando de Policiamento da Capital (CPC), no qual contarão com o apoio de 51 veículos, entre carros e motos.

O 2º Batalhão de Choque irá auxiliar no policiamento interno e na entrada dos torcedores, com 300 policiais e 10 carros. Dois helicópteros Águia irão trabalhar monitorando as torcidas e as imediações do estádio.

O Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran) empregará 37 policiais e 30 veículos para cuidará da fluidez do trânsito, travessia de pedestres e segurança nas principais vias de acesso ao estádio.

Operação Visibilidade
Enquanto os torcedores forem ao Pacaembu, a Polícia Militar inicia, simultaneamente, uma operação nas principais rodovias estaduais de SP. Segundo estimativa da PM, 3,5 milhões de pessoas devem pegar a estrada nesse feriado prolongado.

As entradas e saídas da capital, assim como os acessos para as principais cidades do interior e litoral, terão reforço no policiamento em um raio de até 150 quilômetros, com mais de 16 mil policiais militares e 6,8 mil veículos. Um helicóptero Águia auxiliará as equipes terrestres. A Operação Visibilidade será realizada nesta quinta-feira (22), na sexta-feira (23), e no retorno do feriado, no domingo (26).

Marcha para Jesus
Nesta quinta (23), feriado de Corpus Christi, a PM realiza a Operação Marcha para Jesus, que acompanhará, às 10h, a saída dos evangélicos no Metrô Tiradentes, na Luz, seguindo em direção ao Campo de Bagatelle, em Santana, na Zona Norte. A estimativa é que 2,8 milhões e evangélicos participem da marcha, que terá trios elétricos e apresentação de bandas.

A operação contará com 400 policiais dos Comandos de Policiamento de Área Metropolitano 3 e 1 (CPA/M-3 e CPA/M-1).

Além disso, um helicóptero Águia, 260 alunos sargentos da Escola de Soldados e 80 policiais da Tropa de Choque irão ajudar na segurança durante todo o percurso do evento.

Parada LGBT
Também nesta quinta (23) começam partes dos festejos da Parada do Orgulho LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais), mais conhecida como Parada do Orgulho Gay, que receberá atenção especial da PM. Às 11 horas começa a Feira Cultural LGBT, no Vale do Anhangabaú, na região central da capital.

Na sexta (24), ocorrerá o 11º Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade, no Largo do Arouche, também no centro de São Paulo.

No sábado (25), será comemorado o 11º Gay Day, no Playcenter, na Barra Funda, segundo programação no site do LGBT.

A Parada Gay está marcada para domingo (26), na Avenida Paulista, com maior movimentação na parte da tarde. Nos anos anteriores, o público estimado foi superior a dois milhões de participantes. Para garantir a segurança dos participantes do evento, a Polícia Militar contará com 1,4 mil policiais, 120 viaturas e 120 homens da Tropa de Choque, além de um helicóptero Águia.

Campeonato Brasileiro
No domingo (26) também será a realizado o jogo entre o Corinthians e o São Paulo, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro, no Estádio do Pacaembu. A partida de futebol contará com 360 policiais militares, 140 veículos e um helicóptero Águia.

Domingos de Morais é campeã de furtos e roubos

Mapa da criminalidade na Vila Mariana mostra que Rua Vergueiro ocupa segundo lugar no ranking; dados são do 1º trimestre do ano

13 de junho de 2011 | 0h 00
Luísa Alcalde, do Jornal da Tarde – O Estado de S.Paulo

O mapa do crime da Vila Mariana, na zona sul, aponta que 38 áreas registraram mais furtos e roubos no primeiro trimestre deste ano. De janeiro a março, foram 711 furtos (subtração de objeto sem emprego de violência) e 289 roubos (com ameaça ou violência). Foram levados celulares, carteiras, documentos, bolsas, além de objetos pessoais como laptops e GPSs.

Veja também:
Geografia do crime: os números da violência no 1º trimestre

Os ataques aconteceram principalmente nas proximidades de estações do metrô, como Brigadeiro, Paraíso, Vila Mariana e Ana Rosa, onde bandidos costumam se infiltrar entre moradores de rua para praticar pequenos assaltos, segundo a Polícia Militar.

Outra parte aconteceu quando motoristas estavam parados no trânsito. Também foram registrados ataques a residências e estabelecimentos comerciais. Estão fora dessa conta os furtos e roubos de veículos, de bancos e de cargas.

Com base em dados do Infocrim (Sistema de Informações Criminais), a reportagem levantou que os oito pontos de maior incidência de crimes estão distribuídos entre as Ruas Domingos de Morais, Sena Madureira e Vergueiro e Avenida Paulista – já quase na divisa com a Bela Vista -, República do Líbano, Brigadeiro Luís Antônio – ao lado do Parque do Ibirapuera -, 23 de Maio e proximidades do Complexo Viário João Jorge Saad, o Cebolinha. Crimes ocorridos dentro do parque ficaram de fora.

Ocorrências
Os roubos foram praticados na grande maioria (53%) em noite de quarta-feira. Já os furtos, principalmente do fim de tarde para a noite de quinta-feira.

A Rua Domingos de Morais figura como a campeã de ocorrências de furtos no período entre as dez ruas ou avenidas com maior incidência, com 32 registros desse tipo de delito. Em segundo lugar, aparece a Rua Vergueiro, com 27 furtos, seguida pela Avenida Pedro Álvares Cabral, em terceiro, com 13. Somadas, as três vias representam quase 30% de todas as ocorrências do tipo no período.

A Domingos de Morais também figura como a número um no ranking de roubos no bairro, com 29 ocorrências. A Vergueiro repete a segunda colocação também nesse quesito, com 25 boletins de ocorrência, seguida da Avenida 23 de Maio, na terceira colocação, com 16 queixas.

Número de furtos no 1º trimestre dobra na Av. Paulista

 

AE – Agência Estado

Mais de 200 PMs em motos, a pé, de bicicleta ou em patinetes, além de cabines elevadas, bases móveis e câmeras de vigilância. Apesar de todo esse aparato, a criminalidade tem assustado frequentadores da Avenida Paulista. Entre janeiro e março de 2011, por exemplo, 100 casos de furto foram registrados no local (mais de 1 por dia). A estatística é mais que o dobro da verificada no mesmo período do ano passado, quando ocorreram 47 furtos na avenida, considerada a mais vigiada de São Paulo.

A área da Paulista é atendida por três distritos policiais (o 4.ºDP, na Consolação; o 5.º DP, na Liberdade e o 78º DP, nos Jardins). Há uma semana, o governo passou a divulgar os dados trimestrais de criminalidade por delegacias da capital. Nessas três, em especial, o número de roubos chegou a 888 entre janeiro e março (quase 10 por dia) e o de furtos, a 2.717 (30 por dia).

Em relação aos roubos, a PM informou que essa modalidade de crime sofreu redução no primeiro trimestre deste ano em 33%, em comparação com o ano passado. A PM admite, no entanto, que os furtos aumentaram. Nesse caso, alega que isso independe da ação ou da presença da polícia, pois há pessoas furtadas em outros locais da cidade que só percebem o furto na Paulista.

Com isso, registra-se a ocorrência como se fosse na via. Além disso, a maioria dos furtos ocorre no interior das empresas, o que inviabilizaria um trabalho policial preventivo. Já o delegado-geral da Polícia Civil, Marcos Carneiro Lima, observa que o celular virou “vetor de criminalidade” em São Paulo. As informações são do Jornal da Tarde.