Clientes Sekron
  Esqueci a Senha
Conheça nosso site Institucional ›

Posts Tagged ‘ Comerciais

Guarda realiza Operação de Natal em Santo André

Ação reforça a segurança em centros comerciais do município

A GCM (Guarda Civil Municipal) de Santo André iniciou no sábado (01/12) a Operação de Natal, com o objetivo de reforçar a segurança nos principais centros comerciais do município. A iniciativa vai se intensificar durante dezembro. Ao todo, 116 agentes da corporação foram mobilizados para participar da ação.

No Centro, os endereços atendidos pela operação são as ruas Coronel Oliveira Lima, Bernardino de Campos, Itambé, General Glicério, Luiz Pinto Fláquer, Monte Casseros, Eliza Fláquer e as praças do Carmo, 18 de Forte, Constante Rocco e Desembargador Pedro de Toledo.

A ação também se estende às áreas comerciais de outros bairros, como praça do Nepal, no Bairro Capuava, praça do Bonfim, no Parque Novo Oratório, praça Cristo Operário, no Bairro Vila Linda, Largo da Vila Luzita, no Bairro Vila Luzita e praça Rui Barbosa, em Santa Terezinha.

A fiscalização nos locais atendidos pelo serviço será reforçada entre às 9h e às 22h. Durante a semana do Natal, o horário de execução da ação será ampliado até às 23h.

Portal Mauá Virtual

A cada dia, SP tem dez novas câmeras

SP tem hoje um milhão de equipamentos de vigilância eletrônica; aumento no número de roubos eleva a procura por dispositivos

A falta de segurança está transformando a capital paulista cada vez mais em um verdeiro “Big Brother”. Hoje, no caminho entre a casa e o trabalho, o paulistano tem seus passos registrados por, em média, dez câmeras diferentes. No total, São Paulo conta hoje com um arsenal de um milhão de equipamentos de vigilância eletrônica com imagens, segundo estimativa da Abese (Associação das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança).

O presidente da entidade, Carlos Alberto Progianti, destaca que a iniciativa privada é quem mais investe na compra de equipamentos de monitoramento: sete em cada dez câmeras em funcionamento na cidade estão em condomínios e em prédios residenciais e comerciais. Os outros 30% são da PM, GCM e órgãos da prefeitura como CET e SPTrans.

De acordo com Progianti, o crescimento do número de roubos é um dos fatores que levam à procura cada vez maior por câmeras. Somente no primeiro trimestre deste ano, foram registrados 27, 5 mil roubos na capital, número 4% superior ao verificado no mesmo período do ano passado. “É uma reação à sensação de insegurança. Desde 2007, o setor de vigilância mantém um crescimento médio anual de 11%”, diz Progianti.

Os condomínios, alvos constantes de ataques de quadrilhas especializadas, são os que mais procuraram novidades no mercado de vigilância eletrônica. Carlos Alberto conta que os empreendimentos de classe média alta e de alto padrão estão investindo em um modelo de câmera de vigilância cujo software, por meio imagens pré-definidas, analisa o potencial de risco oferecido por uma pessoa que circula pelo entorno do condomínio.

Após essa avaliação de perfil, o equipamento envia um aviso de alerta para a central de monitoramento do empreendimento.

Setor público
Hoje, São Paulo conta com cerca de três mil câmeras de vigilâncias instaladas pelo poder público, sendo que 270 delas pertencem à Polícia Militar. O restante é utilizado no monitoramento de parques, praças, prédios públicos e do tráfego. No Orçamento para este ano, a prefeitura prevê o investimento de R$ 23 milhões para o monitoramento do tráfego (CFTV) e mais R$ 22 milhões em um central de monitoramento integrado.

Metro São Paulo