Clientes Sekron
  Esqueci a Senha
Conheça nosso site Institucional ›

Posts Tagged ‘ Comparsas

Criminosos roubam equipamentos avaliados em mais de R$ 18 mil reais

Quatro homens roubaram uma grande quantidade de materiais usados para eventos no começo da manhã desta sexta-feira (31) em Santos, no Litoral de São Paulo. A Polícia Militar conseguiu prender um criminoso e recuperar parte da carga.

As imagens da câmera de monitoramento de um espaço usado para eventos, registraram a ação dos criminosos. Um deles, que estava em uma bicicleta, abre a porta do estabelecimento por volta das 5h. Em seguida, seus comparsas entram correndo no depósito de materiais.

Eles colocam vários equipamentos dentro do caminhão da própria empresa e conseguem fugir.

O proprietário do estabelecimento foi avisado que o local tinha sido roubado. Ele acionou a Polícia Militar mas quando chegou no estabelecimento, os criminosos já tinham fugido.

Após meia hora, a Polícia Militar recebeu uma denúncia de que indivíduos estariam descarregando materiais pesados próximo a um prédio, no bairro da Aparecida. Os policiais militares conseguiram chegar no local indicado a tempo de prender um rapaz de 18 anos, que estava com as chaves do caminhão e do portão do depósito. Grande parte da mercadoria roubada foi recuperada. Alguns equipamentos acabaram sendo danificados no transporte. O dono do depósito estima que teve um prejuízo de R$ 18 mil reais.

Os outros criminosos ainda não foram encontrados. A polícia suspeita que um funcionário do local esteja envolvido no roubo já que o alarme da loja disparou e um dos bandidos sabia a senha para desligá-lo.

G1

Seu Condomínio é seguro?

Confira neste teste como está a segurança do seu condomínio e saiba quais pontos pode melhorar

Uma das mais temidas ameaças para um condomínio do ponto de vista da segurança é o crime comumente chamado de “arrastão”, onde várias unidades são assaltadas.

É uma modalidade onde os criminosos costumam utilizar-se de grande violência para dissuadir os moradores a agirem rápido, normalmente com a participação de vários comparsas o que aumenta a necessidade de ter um “ganho” mais elevado.

Para os moradores que sofreram este tipo de violência, a seqüela psicológica é bastante acentuada em virtude da invasão da privacidade e das ameaças aos entes queridos, muito mais valiosa que uma eventual perda patrimonial.

Portanto, a prevenção torna-se ainda mais importante para que o condomínio não seja mais uma vítima deste tipo de crime.

O teste abaixo foi elaborado para mensurar o nível de segurança de seu condomínio. Ao concluí-lo, será apresentado um relatório com suas respostas e comentários importantes para cada questão. Use-o para aplicar possíveis ajustes ou aprimoramentos na segurança de seu condomínio.

http://www.proprofs.com/quiz-school/story.php?title=seu-condomnio-seguro

Fonte: Sindiconet

Quadrilha armada invade e assalta transportadora na Zona Oeste de SP

Trinta homens armados, alguns com fuzis, atacaram empresa nesta sexta (27).
Quatro suspeitos foram presos pela Polícia Militar Rodoviária de Cajamar.

Uma quadrilha com cerca de 30 homens, alguns armados com fuzis, assaltou, no início da madrugada desta sexta-feira (27), uma transportadora, localizada no km 24,5 da pista sentido interior da Rodovia Anhanguera, no Jardim Britânia, região do Parque Anhanguera, na Zona Oeste de São Paulo.

Policiais militares rodoviários de Cajamar, foram acionados pela empresa de segurança que faz monitoramento para a transportadora e chegaram ao local no momento em que os criminosos preparavam-se para fugir. Houve troca de tiros entre os a Polícia Militar e os criminosos que, do lado de fora, davam cobertura aos comparsas, mas ninguém foi baleado.

O bando dividiu-se em dois grupos. Parte dos assaltantes deixou a transportadora em dois veículos. Os outros assaltantes fugiram pelos fundos da empresa, por um matagal, abandonando no interior da empresa três carros com armamento pesado. Um helicóptero da PM ajudou nas buscas. Quatro suspeitos do crime foram presos.

Até as 4h30, a polícia não sabia informar se algo foi levado pela quadrilha nem o que os criminosos buscavam na empresa. O caso seria encaminhado para o 33º Distrito Policial, em Pirituba.

Da Agência Estado

Quadrilhas especializadas fazem sequência de assaltos a banco em SP

Segundo a polícia, do início do ano até agora 23 agências foram assaltadas na capital paulista. Na Grande São Paulo, foram quatro casos em 24 horas.
G1

Em São Paulo, a população está preocupada com a sequência de assaltos a banco. Só esta semana já foram quatro casos, em menos de 24 horas.

O mais recente foi na terça-feira (13), em Poá, cidade na Grande São Paulo. Os ladrões levaram cerca de R$ 650 mil. Foi mais uma ação rápida e, pelas características, planejada com antecedência.

As investigações mostram que quadrilhas especializadas estão agindo na capital. Antes de roubar uma agência, os ladrões passam dias planejando o assalto e estudando o banco.

“Examinando as filmagens que são feitas pelas agências e nas proximidades, a gente consegue descobrir gente que dois, três dias antes andou por ali como quem não quer nada, fazendo levantamento. Eles entram na fila como quem vai pagar alguma coisa e examina o interior e a segurança da agência”, diz Nelson Silveira Guimarães, diretor do DEIC-SP.

As imagens mostram uma quadrilha em ação. O bandido recebe a arma do comparsa ao passar pela porta giratória. Depois, domina o segurança e deixa os outros ladrões entrarem. Eles vão ao cofre e saem levando malotes com dinheiro. Os bandidos costumam usar pistolas, escopetas e fuzis.

“Alguns fortemente armados para fazer o que eles chamam de contenção. Ou seja, o pessoal que fica fora exibindo ostensivamente armamentos para intimidar as pessoas que estejam chegando. Ou, às vezes, até mesmo a polícia. Porque quatro ou cinco bandidos de fora armados de fuzil, se chega uma viatura com dois policiais, certamente ela vai esperar reforço”, comenta Guimarães.

Segundo a polícia, do início do ano até agora 23 agências foram assaltadas na capital paulista. Só este mês foram sete, quando os ladrões levaram ao todo R$ 1,6 milhão.

Segundo a polícia, no ano passado foram presas 118 pessoas na capital acusadas de envolvimento em roubos a bancos e caixas eletrônicos.

O delegado também se queixou que às vezes enfrenta dificuldades para conseguir ajuda dos bancos. As imagens das câmeras de segurança, por exemplo, demoram até três dias para ser entregues. Com isso, os criminosos conseguem fugir.

Preso bando que torturava vítimas

Por Camilla Haddad – Jornal da Tarde

Com requintes de crueldade, uma quadrilha assaltava casas em áreas nobres da zona sul, jogava álcool no corpo das vítimas e ameaçava atear fogo caso elas não indicassem a localização dos cofres. Segundo a polícia, desde abril, pelo menos dez residências foram atacadas dessa forma. Três homens estão presos acusados de cometer os crimes e outros quatro estão foragidos. O caso foi apresentado ontem pelo Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic).

A estimativa dos investigadores é que os assaltantes praticavam até quatro roubos por semana. Quando saíam dos residências, os ladrões seguiam para a casa, na Favela Alba, na zona sul, e vendiam todos objetos de valor para a comunidade, entre eles televisores, DVDs, joias, roupas de grife e notebooks a preços bem menores do que realmente valiam. O comércio era feito de porta em porta, segundo contaram os policiais civis.

O bando agia nos bairros do Campo Belo, Jabaquara, Moema e Jardim Aeroporto. Preferiam horários em que os donos das casas saíam para trabalhar, entre 6h e 7h. Existem relatos de abordagens no retorno do trabalho, às 19h. A escolha de cada vítima era feita após um dos integrantes do bando fazer observações da rotina dos moradores – qual carro tinha e horário que entrava na casa.

Na lista de vítimas, está um casal de alemães moradores do Campo Belo. Depois de entrarem na casa às 6h, cinco assaltantes renderam uma mulher de 77 anos e o marido, de 88. Para intimidar, apagaram todas as luzes e usavam uma lanterna para identificar os bens da família. Na mesma região, uma aposentada de 93 anos foi ameaçada de morte caso o genro dela, de 63 anos, não entregasse joias e dinheiro.

O delegado Francisco Solano de Santana, da Delegacia de Repressão a Roubos e Extorsões, explica que o suspeito mais perigoso e violento, tido como o líder do bando, está entre os detidos. Gerson Roberto dos Santos, o Coelho, tem 26 anos, foi capturado em 11 de agosto, após trocar tiros com a Polícia Militar em um roubo.

Ele já chegou a ser reconhecido por duas vítimas porque tinha um detalhe diferente dos comparsas: usava aparelho nos dentes. Além dele, também estão presos Rodrigo Bispo da Silva, de 29, e Ricardo Araujo Correia, de 39. Os dois foram pegos em 14 de setembro após um crime em um imóvel no Campo Belo.

Dos dez boletins de ocorrência registrados no 35º DP (Jabaquara) e 27º DP (Campo Belo), duas vítimas reconheceram o grupo. Segundo o delegado, a ação dos assaltantes é tão violenta que as vítimas têm medo de fazer o reconhecimento por causa do trauma. Normalmente os ameaçados eram os idosos e crianças. “Fazemos um apelo para que as vítimas nos procurem”, disse Solano.

Quatro são presos após bando assaltar agência bancária na zona leste de SP

Ação durou cerca de 10 minutos; vigilantes foram rendidos após três criminosos entrarem no banco com armas falsas

Ricardo Valota, do estadão.com.br

SÃO PAULO – Quatro bandidos foram presos, no final da tarde de quarta-feira, 17, após uma quadrilha, com pelo menos 12 homens, assaltar uma agência do Banco Santander localizada na Rua Hipólito de Camargo, na Vila Lourdes, região de Guaianazes, na zona leste de São Paulo.

A agência estava prestes a fechar quando o primeiro criminoso entrou, às 15h53. O segundo, às 15h55; o terceiro, às 15h56, todos escondendo armas de brinquedo, que não foram detectadas pelo sistema da porta giratória. O quarto assaltante, simulando ser um cliente atrasado, para distrair os vigilantes, começou a bater no vidro exigindo que a porta giratória fosse destravada.

Naquele momento, os três criminosos, portando as falsas armas, renderam os dois seguranças e iniciaram o assalto. Havia cerca de 20 funcionários na agência e poucos clientes. Parte dos demais assaltantes também invadiu a agência e outra ficou no hall dos caixas. Um dos bandidos que acabaram presos foi o único que permaneceu fora do banco e foi detido por policiais militares da Força Tática do 28º Batalhão, que desconfiaram do nervosismo do rapaz ao perceber a aproximação da viatura.

O segundo criminoso preso foi abordado pelos policiais ao deixar a agência correndo. Mesmo tentando se passar por cliente, alegando que havia sido assaltado e por isso corria, o assaltante foi desmascarado e detido. Os outros dois integrantes do bando foram presos após retornarem para a agência.

Um deles, no momento em que a primeira dupla já estava presa, ligou para o celular de um dos comparsas já algemado, mas foi atendido por um dos policiais. O policial, passando-se pelo criminoso, disse ao bandido que estava retido dentro da agência, cercada pelos policiais, e que ainda havia chance de ser resgatado.

A dupla então, em um Fiat Pálio, retornou para o local e foi presa. Os demais membros do bando fugiram levando mais de R$ 43 mil. A ação durou quase 10 minutos. Juntos, os quatro criminosos presos acumulam passagens por roubo (um deles a banco) e tráfico de drogas. O caso foi registrado na Delegacia Especializada em Roubos a Banco do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic).

Preso integrante de quadrilha que assaltava casas na zona sul de SP

Rapaz confessou assaltos; na casa dele foram encontrados objetos roubados

Pedro da Rocha

SÃO PAULO – Um dos integrantes de uma quadrilha que pratica assaltos à residências na região do Morumbi, na zona sul da capital, foi preso, por volta das 22h de segunda-feira, quando desmontava um carro roubado. A atitude levantou suspeitas de moradores da favela Paraisópolis, na Vila Andrade.

Após receberem denúncia, segundo a qual um homem retirava as rodas de um Vectra na Rua Jeremy Bentham, dentro da favela, policiais militares da 5ª Companhia do 16º Batalhão foram verificar. Quando chegaram, encontraram Jonatan Laube Reis, de 23 anos, trabalhando no carro, que estava com a placa de um Astra. “Após entrevista, ele acabou confessando que pertencia a um grupo especializado em roubos à residência, e indicou que guardava os produtos do crime em sua casa”, contou o tenente da PM Everton Vilela.

Na moradia de Reis, em frente ao local onde desmontava o carro, foram encontradas televisões, equipamentos de videogames, e outros objetos. Na delegacia, os policiais contactaram vítimas de roubos à residência na região. Moradores de uma casa na Rua Senador Otávio Mangabeira reconheceram três objetos roubados no dia 6 de julho: uma televisão, um tripé e um controle de videogame. Um médico que teve a casa assaltada na manhã do mesmo dia afirmou à polícia que Reis possui as características físicas de um dos ladrões.

Ambos os crimes tiveram características parecidas. “Os dois assaltantes pularam o muro da frente e me renderam quando chegava de carro. Apesar de armados, os dois não foram violentos”, contou o engenheiro Ademar Rudge, de 59 anos, roubado em julho. Já o médico, de 65 anos, contou que os dois bandidos tinham a chave de sua residência. Eles também estavam armados, encapuzados, e calmos durante o crime. “Eles levaram minha coleção de relógios e fugiram com meu carro”, disse o médico.

O caso foi encaminhado ao 49º Distrito Policial. Reis disse aos policiais que agia com mais três comparsas. As investigações vão continuar para identificar os outros criminosos e tentar recuperar o restante dos objetos roubados.