Clientes Sekron
  Esqueci a Senha
Conheça nosso site Institucional ›

Posts Tagged ‘ Cuidados

Especialistas indicam cuidados para estrangeiros contra violência em SP

Delegacia específica, atendimento especializado em casos de emergências e uma lista com dicas básicas são estratégias das autoridades em segurança pública para evitar violência contra estrangeiros em São Paulo.

Especialistas ouvidos pelo G1 apontam rotinas e conselhos que os brasileiros devem dar ao receber estrangeiros em São Paulo. A principal dica é redobrar cuidado com bens durante deslocamentos, não ostentar e não reagir em caso de assaltos. Os especialistas lembram ainda que, caso sejam vítimas de violência, os estrangeiros devem acionar a Polícia Militar, que tem atendentes bilíngues. Em São Paulo, as chamadas feitas para o número 911 são redirecionadas para o 190.

“A principal dica de segurança que os brasileiros podem dar a seus colegas estrangeiros é uma coisa que já é internacional. Se alguém sacar uma arma para a pessoa, significa internacionalmente que é um roubo, seja aqui ou na China”, afirma Marcos Carneiro de Lima, delegado-geral da Polícia Civil do estado de São Paulo.

O delegado-geral ressalta que, em caso de uma situação de abordagem por criminosos, o principal é não se descontrolar. “É importante manter a calma e só sair do carro se o assaltante pedir e tudo isso sem fazer gesto bruto”, diz Carneiro de Lima.

Ex-secretário nacional de Segurança Pública, o coronel da reserva da Polícia Militar José Vicente da Silva Filho concorda que é preciso evitar gestos violentos na hora de um assalto. “Ele [o italiano morto no sábado] quis cooperar com o bandido e saiu do carro. Nesta saída, deve ter assustado o criminoso”, ressaltou.

Segundo as estatísticas da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, os latrocínios – roubos seguidos de morte – dobraram em maio, foram registrados 16 casos. Na lista de dicas para turistas reunida pela delegacia especializada, cuidado com bens que podem ser alvos de roubos são indicados tanto em aeroportos, nos hotéis, bares ou áreas públicas. De acordo com os especialistas, relógios, notebooks e telefones celulares devem ser considerados como objetos desejados pelos ladrões.

Veja tabela com dicas e endereços úteis
Fonte: G1

Bandidos atacam em garagens de shopping e mercado

Dos 41 sequestros relâmpagos na região de Santo Amaro neste ano, 38 foram em estacionamentos de centros comerciais
Camilla Haddad/JT

Quadrilhas especializadas em sequestros relâmpagos estão agindo em estacionamentos de shoppings e supermercados de São Paulo. Os assaltantes aproveitam a distração das vítimas para praticar os crimes. “São locais com uma falsa sensação de segurança”, afirma o delegado Alberto Matheus Júnior, titular da 3.ª Delegacia Antissequestro Relâmpago.

Dados da polícia mostram que, nos últimos cinco meses, dos 250 casos de sequestros relâmpagos registrados pela delegacia, 41 foram cometidos na região do 11.º Distrito Policial (Santo Amaro), na zona sul da capital – 38 deles em estacionamentos de centros de compras. A área de atuação dos bandidos inclui garagens nas imediações das Avenidas Roque Petroni Júnior, Vereador José Diniz e Nações Unidas.

A polícia identificou três quadrilhas que agem no bairro. Uma quarta foi desmantelada no mês passado, com a prisão da “gangue das loiras”, que cercava mulheres idosas em estacionamentos de shoppings de luxo. “O criminoso vai procurar facilidade. A zona sul tem grandes shoppings e lojas, além de alto poder aquisitivo, o que atrai os criminosos”, afirmou delegado. “E eles andam bem arrumados, sem causar suspeitas.”

Segundo Matheus Júnior, para agir nos centros comerciais, os ladrões escolhem quem atacar de acordo com o volume de sacolas e objetos ostentados. Mulheres sozinhas em carros são as preferidas. Mas há casos com homens. Em 18 de janeiro, por exemplo, um jovem foi cercado às 22h30, quando entrava no carro, após sair de um shopping da região. Ele foi libertado duas horas depois na Rua Alexandre Dumas.

“Sinceramente, não tomo tantos cuidados. Me sinto mais seguro aqui do que se parasse na rua e não me preocupo tanto”, disse o administrador Roberto Castro, de 41 anos, que estava no estacionamento de um shopping na zona sul na sexta-feira. Ele nunca foi assaltado, mas conhece amigos que foram rendidos no ano passado em um mercado da mesma região.

O especialista em segurança pública e privada Jorge Lordello lembra que antigamente estacionamentos costumavam registrar furtos de carros e estepes. Agora, têm sido alvo de sequestros de curta duração. “Shoppings têm orientado a segurança a convidar quem fica esperando alguém sozinho dentro do carro a aguardar fora do veículo, em lugar movimentado”, afirmou. “É para minimizar os riscos.”

O capitão da PM Cleodato Moises disse que ladrões preferem locais com maior concentração de comércio para atacar. “Eles sabem que nesses lugares as pessoas têm um cartão para gastar.” Em supermercados, a situação é a mesma. “Ali as pessoas também vão colocar as compras no carro e podem estar distraídas.”

Cuidados
A Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings negou que tenha havido uma onda de sequestros. A entidade informou que ocorreram, no máximo, dois ou três casos. A Associação Paulista de Supermercados (APAS) disse que somente os mercados podem comentar o assunto.

O MorumbiShopping, que está na rota de ação das quadrilhas, informou que, diante do aumento de casos, vem intensificando os cuidados e adequando procedimentos. Por questão de segurança, o Shopping Vila Olímpia não quis comentar o assunto. Já o SP Market não respondeu.

Pequenos cuidados podem evitar que você vire vítima de bandidos

Criminosos se aproveitam de momentos de distração das vítimas.
Quanto menos cartões a vítima carregar, mais rápido será o sequestro.


G1

Cuidado com os clandestinos na segurança privada

‘Para cada empresa regularizada, duas são ilegais’, afirma o vice-presidente do sindicato do setor em SP

O mercado de segurança privada no estado de São Paulo ganhou, de 2010 para 2011, quase 20 mil profissionais.

O crescimento do setor deve acelerar até a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, quando pelo menos 50 mil profissionais da área devem ser escalados para o esquema de segurança do Mundial.

É possível ver essa escalada no dia a dia, com empresas sendo contratadas cada vez mais para cuidar de residências.

Porém, uma preocupação acompanha o bom momento da área. “Para cada empresa do setor regularizada no estado de São Paulo, duas são clandestinas”, alerta João Palhuca, vice-presidente da Sesvesp (Sindicato das Empresas de Segurança Privada ).

A clandestinidade, segundo o próprio sindicato, é um dos principais problemas da área. “Quando se contrata uma empresa clandestina, o contratante pode se tornar co-responsável pela ações desta empresa”, diz o sindicalista.

Portanto, é preciso tomar alguns cuidados na hora da contratação.

O Ministério da Justiça disse que vai, ainda neste semestre, enviar um projeto de lei que atualiza o estatuto da segurança privada. A lei que rege a área é de 1983.

“Temos empresas que atuam sem o mínimo de capacitação técnica, dificultando inclusive a fiscalização. Temos de dar um balizamento normativo muito claro em relação ao que pode e ao que deve fazer a vigilância privada”, disse em entrevista à Agência Brasil, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Texto do estatuto está quase pronto
Segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Justiça, as discussões em torno do estatuto da segurança privada estão avançadas. O texto original foi preparado pela Polícia Federal, órgão responsável pela fiscalização da segurança privada no país.


Alexandre Moreno – Agência Bom Dia

PM reforça patrulhas em áreas comerciais e distribui cartilha


Foto: Aaron Kawai
Efetivo nas ruas aumentou em 30% com o objetivo de coibir crimes; policiais também orientam população a se prevenir
Filipe Rodrigues O Vale – São José dos Campos

A Polícia Militar aumentou em 30% o efetivo nas principais regiões comerciais de São José dos Campos devido ao aumento da movimentação com a chegada do Natal.

Além do reforço policial, a corporação também está distribuindo cartilhas à população com dicas de como evitar ser vítima de roubos e furtos.

Inicialmente, foram impressas três mil cópias do panfleto ‘Educação para a Segurança’, que possui seis páginas, é ilustrada e impressa em cores.

“Como há muita movimentação, o ladrão procura a oportunidade. Ele vai agir contra a pessoa que estiver distraída. Essas dicas visam orientar quem vai fazer compras”, diz o tenente Alan Kalzuk.

Durante a tarde de ontem, a PM evitou um roubo a uma loja de motocicletas, na avenida Juscelino Kubitschek, na Vila Industrial, zona leste.

Luis Fernando Nazaré da Silva, 18 anos, foi preso em flagrante e o adolescente G.H.S, 17 anos, detido. Com eles, a PM apreendeu ainda um revólver calibre 38.

Os bandidos chegaram a render pessoas na loja e dispararam duas vezes. Mas com a chegada da PM, eles tentaram fugir e foram cercados.

Segurança
O principal reforço é feito no policiamento a pé e com bicicletas. Os policiais percorrem áreas mais movimentadas e mantêm um contato maior com a população.

“As viaturas têm dificuldade para transitar nas áreas movimentadas, por isso, optamos por bicicletas e motos para fazer o deslocamento”, diz o tenente Euler Guimarães.

Com menos utilidade na área comercial, as viaturas atuam, principalmente, nas vias de acesso às regiões mais movimentadas e em outras áreas da cidade.

“Se reforçarmos só a área comercial, as outras ficam desguarnecidas. Por isso, há viaturas em horário estendido para garantir também a tranquilidade para quem fez as compras e vai voltar para casa”, afirma.

Dicas
Para a corporação, as pessoas podem evitar ser vítimas, tomando algumas medidas simples de segurança, como evitar fazer compras sozinho e não deixar bolsa e carteira em locais de fácil acesso.

A auxiliar administrativa Maria de Jesus Gomes, 44 anos, sabe do risco e diz que faz as compras de natal aos poucos para evitar andar com muitos presentes.

“Tem que ficar atento sempre. Se bobear, mesmo com polícia, eles pegam o que precisam e saem correndo. Alguns cuidados, a gente que tem que tomar”, diz Maria.

Operação
A Operação Natal teve início no dia 25 de novembro. Desde então, já há um reforço nas principais regiões comerciais. O número foi intensificado nesta última semana, quando são esperadas 15 mil pessoas por dia no Centro de São José dos Campos.

Durante a semana, o reforço no policiamento será estendido até às 23h, horário previsto para que os consumidores voltem para suas casas.

Sistemas Eletrônicos de Segurança são aliados para inibir ação criminosa durante as férias

Todos os anos milhares de pessoas programam suas viagens nos meses de dezembro e janeiro. Seja de longa ou de curta duração, é imprescindível que todos tenham consciência de que é necessário atentar-se ainda mais à segurança dos imóveis, redobrando os cuidados e tomando as devidas precauções para evitar surpresas indesejadas.

É justamente nessa época do ano que atitudes comuns, como avisar vizinhos ou deixar luzes acesas, tornam-se ineficazes ou até arriscadas, sinalizando a ausência de muitos moradores de uma mesma rua.

Com o aumento da criminalidade, sistemas eletrônicos de segurança são, cada vez mais , um aliado de peso na proteção de casas e condomínios, principalmente quando se viaja ou se ausenta por determinado período.

Os cuidados começam com a escolha adequada da empresa prestadora do serviço de segurança eletrônica, seguido de uma detalhada análise de risco do local, para então definir a opção mais eficiente de acordo com a necessidade de cada imóvel. “A implantação de alarmes, cercas elétricas ou Circuito Fechado de TV (CFTV) deve ser algo muito bem planejado.

É recomendável que seja utilizado equipamento com monitoramento e possibilidade de conexão remota, o que permite acompanhar em tempo real o que está acontecendo no imóvel e, assim, agilizar o acionamento da polícia caso aconteça alguma invasão”, explica Carlos Progianti, presidente da Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança – ABESE.

Para aqueles que já possuem algum sistema eletrônico de segurança, alguns cuidados são fundamentais como, por exemplo, informar a companhia de monitoramento sobre a ausência, além de checar se os equipamentos estão com funcionamento e instalação adequados.

Por outro lado, àqueles que ainda não aderiram aos sistemas eletrônicos de segurança, os cuidados são muitos.

A ABESE ressalta que apenas empresas especializadas estão capacitadas para fazer uma análise completa sobre as fragilidades do imóvel e recomendar a instalação de equipamentos específicos para neutralizá-las. “Somente um estudo feito com critério pode tornar a segurança do imóvel menos vulnerável e dar ao proprietário a real dimensão dos equipamentos que necessita como quantidade de câmeras e sensores para se ter um sistema confiável”, alerta Progianti.

Dentro deste contexto, o investimento em segurança eletrônica, setor que cresce a uma média de 13% ao ano, é uma medida eficiente para garantir a integridade de residências e condomínios, uma vez que estes sistemas são desenvolvidos com o objetivo de detectar, comunicar e inibir a ação criminosa. Em 2010, o segmento registrou crescimento de 12% no Brasil, com faturamento de US$ 1,68 bilhão.

Revista Seguro Total/SP

Saiba como se proteger de golpes nas compras de Natal

A grande movimentação em lojas e bancos por causa das compras de fim de ano pode favorecer a ação de infratores oportunistas. Por isso, as precauções contra fraudes e outros crimes devem ser redobradas, de acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), que relacionou alguns cuidados para evitar transtornos; inclusive quanto ao uso da internet e de caixas eletrônicos.

A Febraban lembra que os bancos investem de forma sistemática na segurança das agências e das transações eletrônicas, mas recomenda que o usuário também adote alguns cuidados. Principalmente às vésperas do Natal, quando a milhões de consumidores vão às compras dispostos a enfrentar a aglomeração das lojas e, mais recentemente, as ofertas do comércio eletrônico na internet.

Como a criatividade criminosa não tem limites, a Febraban ressalta que até mesmo um aparentemente inofensivo e-mail de Feliz Natal pode trazer transtornos, como o transporte de vírus. A recomendação é para não abrir e-mails sem que se tenha absoluta certeza de que a procedência é confiável.

Antes de fazer compras em lojas online, o usuário deve verificar se o computador a ser utilizado está com os programas antivírus atualizados. Também deve evitar páginas desconhecidas e arriscadas e só fazer transferência de arquivos (downloads) das lojas que o consumidor tem certeza de que são confiáveis. Por isso, não é recomendável fazer operações bancárias e compras em computadores de uso público, como em lan houses e no ambiente de trabalho.

Outra dica é verificar se o endereço do site acessado começa com https:// (diferente de http:// nas conexões normais), pois a letra s antes dos dois pontos indica que a conexão é segura. Alguns navegadores podem ainda incluir outros sinais, como o ícone de cadeado fechado.

O comércio trabalha muito com cheque pré-datado, e é sempre bom lembrar que os cheques têm validade de apenas seis meses. Portanto, o lojista deve ficar atento ao preenchimento das datas em que deverão ser depositados.

Quanto ao uso do cartão de crédito, a Febraban lembra que cartão e senha devem andar sempre separados. O ideal é o consumidor memorizar a senha, mas se ele não conseguir, que leve a anotação da senha longe do cartão. Outra dica muito batida, mas de extrema eficiência, é a de não aceitar – nem pedir – ajuda de estranhos nos caixas de autoatendimento dos bancos.

Deve-se também evitar saques de valores elevados nas agências ou caixas eletrônicos para não correr risco de assalto na saída do banco.

Se houver necessidade de fazer pagamentos elevados, utilize DOC ou TED, que são mecanismos de transferência eletrônica de valores. O ideal, segundo a Febraban, é sacar pequenas quantidades de dinheiro e, de preferência, em lugares movimentados.

Outros cuidados básicos são encobrir o teclado na hora de digitar a senha; se o caixa eletrônico engolir o cartão, comunique ao banco imediatamente, pois é indício de que o caixa pode ter um dispositivo clandestino de clonagem de senhas; e se desconfiar da aparência do caixa eletrônico não o utilize. Procure, antes, um funcionário da agência ou ligue para o banco.

Fonte: Agência Brasil