Clientes Sekron
  Esqueci a Senha
Conheça nosso site Institucional ›

Posts Tagged ‘ São Paulo

Foto mostra marginal armado pedindo para que motorista pare o veículo

Da Redação do TVTribuna.com

A imagem impressiona. Um homem, dirigindo um carro, com um marginal apontando uma arma na direção do veículo e pedindo pra que o motorista parasse. Esse flagrante, registrado no dia 27 de abril, foi divulgado pela polícia civil apenas no começo desta semana.

A foto foi feita na entrada do túnel da Vila Zilda, em Guarujá, por um turista da Capital que voltava para São Paulo. Ao se aproximar do túnel, conhecido pelo alto número de assaltos, o motorista avistou o marginal e acelerou. Dirigindo um carro blindado, fez o retorno, voltou ao mesmo lugar e tirou uma foto do criminoso.

Ao chegar em São Paulo, o turista encaminhou a foto para a Delegacia de Guarujá. Pouco tempo depois, o acusado foi identificado como Paulo Ronaldo da Silva Gomes, de 21 anos. O rapaz foi detido e confessou a tentativa de assalto contra o motorista. O mais surpreendente é que, como não houve prisão em flagrante, Paulo Roberto foi indiciado em inquérito e liberado em seguida.

O local onde a imagem foi registrada é considerado crítico pela Polícia devido a grande incidência de assaltos. Diversos marginais já foram presos agindo na área, se aproveitando dos congestionamentos que se formam próximo ao túnel, tanto no lado da Vila Zilda quanto no da Enseada. Parados nas longas filas, os motoristas ficam sem opção de fuga e se tornam alvos fáceis dos ladrões, que costumam roubar celulares, relógios e dinheiro.

Outro Caso

No último sábado, o gerente de vendas David Nogueira Filho, de 76 anos, não teve a mesma sorte que o turista de São Paulo, que conseguiu escapar ileso. Ele acabou sendo baleado por um marginal que tentou assaltá-lo nas proximidades do túnel. Ao perceber que seria assaltado, a vítima, que estava acompanhada por outro homem, acelerou o veículo para tentar se livrar dos dois marginais que corriam em direção ao veículo. Um dos criminosos atirou contra o carro. A bala perfurou o vidro dianteiro e atingiu o ombro esquerdo de David. Apesar de ferido, ele continuou dirigindo até o Posto de Atendimento Médico que fica ao lado da Rodoviária. Após receber atendimento, ele foi encaminhado para o Hospital Santo Amaro para fazer os curativos.

A orientação da polícia é bastante clara. Os motoristas que passarem pelo túnel devem ficar sempre atentos a qualquer movimento suspeito. É recomendado que os pertences de valor fiquem em um lugar seguro e que os ocupantes do carro não portem jóias ou objetos de valor elevado que possam chamar a atenção dos criminosos.

Pedestres são as principais vítimas de assalto nas vias de SP

17/05/2011 08h27 – Atualizado em 17/05/2011 08h27

Houve registro de 1867 boletins de ocorrência no primeiro trimestre.
Avenida 23 de Maio encabeça lista dos corredores com mais assaltos.

Kleber Tomaz e Paulo Toledo Piza

Do G1 SP

Vítima ficou com problemas auditivos após assalto (Foto: Kleber Tomaz/G1)

Vítima ficou com problemas auditivos após assalto (Foto: Kleber Tomaz/G1)

 

Enquanto a Prefeitura de São Paulo implanta nas ruas ações para diminuir os atropelamentos, na calçada a preocupação é da Polícia Militar. Segundo dados da corporação, os pedestres são o principal alvo dos criminosos.

Dados estatísticos das forças de segurança revelam que as vítimas de “roubo a transeuntes” fizeram 1867 boletins dessa natureza na Polícia Civil nos três primeiros meses deste ano. Os números superam o roubo de veículos, que teve 721 queixas no mesmo período. O terceiro crime mais comum nas ruas de São Paulo é o assalto a motoristas no trânsito, com 474 casos de janeiro a março. O assalto a pedestres também é mais frequente que assaltos a imóveis residenciais e comerciais, a bancos, a transportes coletivos e que roubos de cargas.

De acordo com a Polícia Militar, o pedestre costuma registrar mais ocorrências de roubo do que quem foi assaltado dentro do seu automóvel, por exemplo, pelo fato de não ter que enfrentar trânsito. Apesar de o número de casos de roubo a transeuntes do primeiro trimestre de 2011 ser menor se comparado ao mesmo período do ano passado, quando foram feitas 2499 ocorrências, os dados desse tipo de crime ainda são considerados elevados e trazem sensação de insegurança para a população.

Levando-se em conta os dados oficiais, a via mais perigosa para uma pessoa caminhar em São Paulo é a Avenida 23 de Maio, com 120 queixas de roubos no primeiro trimestre, uma média de mais de um caso por dia. Esse corredor é a principal ligação dos bairros da Zona Sul até a região central da cidade, com 3,2 quilômetros de extensão.

Há ainda relatos de vítimas de assaltos em outras vias da cidade. “Até hoje só escuto um zumbido no meu ouvido direito”, diz um homem de 57 anos que ficou com problemas auditivos após ser agredido por um assaltante no início deste ano.

Ele conta que o criminoso lhe deu uma coronhada e levou seu dinheiro na Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, no Brooklin, na Zona Sul de São Paulo. A via aparece em 30ª posição no ranking das 40 vias mais perigosas para um pedestre caminhar. “É muito comum ocorrerem assaltos a pedestres aqui.”

A Prefeitura implantou recentemente uma zona de proteção ao pedestre para protegê-lo de atropelamentos no trânsito, mas, além dos perigos que corre ao atravessar as ruas, o pedestre também engorda os índices de criminalidade como vítima de assaltos.

“Os bandidos aproveitam para atacar quando os funcionários deixam o serviço, perto das 18h, 19h”, fala Maria Aparecida de Lima, de 46 anos, outra vítima de assaltos na Berrini. “Nunca vou esquecer o dia. Me roubaram em 19 de abril.”

Roubo a veículos
Os índices de roubo a veículos aparecem na segunda posição, com 721 ocorrências neste ano. Em 2010, foram 872 casos no mesmo período comparativo.

A Marginal Pinheiros é a via onde mais ocorrem roubos de veículos em São Paulo, com 87 registros no primeiro trimestre deste ano. Se for feita uma comparação com o mesmo período no ano passado, quando 135 carros foram roubados, houve uma diminuição considerável de crimes na região – queda de 35,5%.

Em seguida está a Avenida Marechal Tito, com 62 roubos, e a Avenida Sapopemba, onde 48 carros foram roubados. O corredor formado pelas avenidas Senador Teotônio Vilela e Sadamu Inque fica em quarto lugar, com 45 casos.

As outras seis vias mais perigosas, e seus respectivos números, são: avenidas Cupecê (40), Giovanni Gronchi (39), corredor formado pela Avenida Presidente Tancredo Neves e Rua das Juntas Provisórias (também com 39), Avenida Professor Luís Ignácio de Anhaia Mello (28), Avenida Mateo Bei (26) e a Estrada de Itapecerica (26).

Assalto a motoristas
Reportagem publicada pelo G1 em 12 de maio mostra que o aumento constante da frota de veículos em São Paulo, estimada atualmente em 7 milhões de unidades, provoca congestionamentos quilométricos nas principais vias da cidade e facilitam a ação de criminosos. Segundo a Polícia Militar, a lentidão no trânsito está diretamente relacionada aos assaltos a motoristas na capital. Os assaltantes costumam agir com motos ou até mesmo a pé. As vítimas são condutores de carros, caminhões, ônibus e motociclistas.

Levantamento feito pela PM mostra quais são os 35 corredores de São Paulo onde o condutor corre mais risco de ser roubado. Os dados, obtidos pelo G1, levam em conta as 474 ocorrências registradas no primeiro trimestre deste ano em todas as vias da capital. No ano passado, foram 611 casos do mesmo tipo de crime.

Em números absolutos, a Marginal Pinheiros é a via com mais assaltos a motoristas no município, com 97 casos apenas neste ano – média de mais de um roubo por dia.

PM
O Comando de Policiamento da PM informa que tem conhecimento da incidência dos crimes citados nesta matéria e realiza rondas ostensivas constantemente nas vias para tentar diminuir o número de ocorrências.

De acordo com o coronel Marcos Roberto Chaves, comandante do Policiamento na capital, patrulhamentos feitos pela Ronda Ostensiva sobre Motos (Rocam) são constantes nos principais corredores. “Os números totais de roubos a pedestres, veículos e assaltos a motoristas diminuíram neste ano em relação ao mesmo período do ano passado por conta da ação da Polícia Militar. Isso é fato. E vamos continuar realizando ações para diminuir mais ainda esses índices”, afirma o comandante.

A PM ainda estuda a implantação de bases comunitárias móveis e bolsões de estacionamento para motos da corporação em toda a extensão da marginal como medida para reduzir os crimes no corredor.

Brasil tem mais de um milhão de câmeras de monitoramento nas ruas

Hoje é impossível andar pelas ruas das grandes cidades sem ser monitorado por alguma câmera de segurança. A vigilância eletrônica já se tornou parceira da polícia e garante flagrantes.

José Raimundo Salvador, BA

Hoje no Brasil há mais de um milhão de câmeras de segurança espalhadas por ruas, prédios, praias e casas. Só em São Paulo e região metropolitana são mais de 600 câmeras monitoradas pelas prefeituras e Policia Militar.

Daqui a três anos elas vão se multiplicar. Pelos cálculos, para cada cinco habitantes das principais capitais do país haverá uma câmera. A vigilância eletrônica já se tornou parceira da polícia e garante flagrantes.

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança, mais da metade do monitoramento eletrônico do Brasil está na região sudeste. Vinte e dois por cento no Sul, 12% no Centro-oeste e 9% no Nordeste.

No futuro, até o rotineiro deslocamento de casa para o trabalho será monitorado. Em um percurso de 15 quilômetros, por exemplo, seis câmeras estarão lhe vigiando. Só em Salvador a Secretaria de Segurança Pública tem planos para instalar 200 câmeras nas ruas. Vinte e cinco já funcionam nas aéreas do centro e parte da orla marítima. Para a polícia, essa é uma arma poderosa de combate ao crime. “Os criminosos sabendo que o local é monitorado por câmera, evita cometer o crime naquelas regiões e a aproximação da polícia com maior rapidez também traz bons resultados”, garante Maurício Barbosa, secretário de Segurança Pública/BA.

Assista: http://g1.globo.com/videos/jornal-hoje/v/cameras-de-seguranca-ajudam-a-colocar-bandidos-na-cadeia/1500636/#/Edições/20110504/page/1

Número de furtos no 1º trimestre dobra na Av. Paulista

 

AE – Agência Estado

Mais de 200 PMs em motos, a pé, de bicicleta ou em patinetes, além de cabines elevadas, bases móveis e câmeras de vigilância. Apesar de todo esse aparato, a criminalidade tem assustado frequentadores da Avenida Paulista. Entre janeiro e março de 2011, por exemplo, 100 casos de furto foram registrados no local (mais de 1 por dia). A estatística é mais que o dobro da verificada no mesmo período do ano passado, quando ocorreram 47 furtos na avenida, considerada a mais vigiada de São Paulo.

A área da Paulista é atendida por três distritos policiais (o 4.ºDP, na Consolação; o 5.º DP, na Liberdade e o 78º DP, nos Jardins). Há uma semana, o governo passou a divulgar os dados trimestrais de criminalidade por delegacias da capital. Nessas três, em especial, o número de roubos chegou a 888 entre janeiro e março (quase 10 por dia) e o de furtos, a 2.717 (30 por dia).

Em relação aos roubos, a PM informou que essa modalidade de crime sofreu redução no primeiro trimestre deste ano em 33%, em comparação com o ano passado. A PM admite, no entanto, que os furtos aumentaram. Nesse caso, alega que isso independe da ação ou da presença da polícia, pois há pessoas furtadas em outros locais da cidade que só percebem o furto na Paulista.

Com isso, registra-se a ocorrência como se fosse na via. Além disso, a maioria dos furtos ocorre no interior das empresas, o que inviabilizaria um trabalho policial preventivo. Já o delegado-geral da Polícia Civil, Marcos Carneiro Lima, observa que o celular virou “vetor de criminalidade” em São Paulo. As informações são do Jornal da Tarde.

Saiba quem são os 25 mais procurados pela Polícia Civil de SP

 

Maria do Pó é a única mulher a figurar na lista dos mais perigosos.
Roger Abdelmassih é mais velho; SP tem 150 mil mandados de prisão.

Kleber Tomaz Do G1 SP

Delegado Waldomiro Milanesi, da Divisão de Capturas, mostra um dos 25 mais procurados pela Polícia Civil de São Paulo (Foto: Kleber Tomaz / G1)

Vinte e cinco pessoas – 24 homens e uma mulher – aparecem na lista dos mais procurados pela Polícia Civil de São Paulo. Muitos deles são considerados os mais perigosos do estado, de acordo com a Divisão de Capturas do Departamento de Identificação de Registros Diversos (Dird).

Os principais procurados são suspeitos, acusados, condenados e foragidos envolvidos em crimes graves, como assassinatos, sequestros, estupros, assaltos e tráfico de drogas. Eles tiveram suas prisões decretadas pela Justiça paulista, mas ainda não se entregaram ou nem sequer foram encontrados pelas equipes policiais de busca que tentam cumprir os mandados de prisão.

Alguns desses casos tiveram repercussão por conta da cobertura da mídia e levaram uma fama indesejada a seus protagonistas, que acabaram com seus rostos divulgados na TV, internet e jornais, passando  a ser conhecidos pela sociedade. Por esse motivo, a polícia acredita que alguns dos procurados podem estar fazendo de tudo para não ser descobertos. Desde usar esconderijos em outros estados ou fugir do país, disfarces, mudanças de identidade e até cirurgias plásticas.

Entre os principais procurados há um rosto famoso, como o do ex-médico Roger Abdelmassih, condenado a 278 anos de prisão por abuso sexual. E um retrato conhecido, como o do advogado Mizael Bispo de Souza, acusado de agredir e matar a ex-namorada, a advogada Mércia Nakashima. Assim como a maioria dos procurados, eles negam os crimes e alegam inocência.

De acordo com o delegado chefe da Divisão de Capturas, Waldomiro Pompiani Milanesi, o critério para definir os principais procurados se baseia no tipo de crime que eles respondem.
“Priorizamos agora as buscas àqueles que tenham envolvimento com homicídios, latrocínios [roubo seguido de morte], crimes sexuais, sequestros e tráfico de entorpecentes”, afirmou o divisionário, que disponibiliza informações sobre os mais procurados no site da polícia paulista.

‘Maria do Pó’
Única mulher a figurar entre os 25 mais procurados do estado, Sônia Aparecida Rossi, ou simplesmente a ‘Maria do Pó’, tem sua foto e dados divulgados na página da instituição. Ela é apontada como a principal criminosa do estado de São Paulo. Condenada a  54 anos e oito meses de prisão por tráfico de drogas, fugiu da Penitenciária de Santana, na Zona Norte da capital paulista, em março de 2006 e passou a ser procurada como foragida.

‘Maria do Pó’, atualmente com 50 anos de idade, conquistou fama na crônica policial em 1999, quando foi envolvida no sumiço de 340 quilos de cocaína do IML (Instituto Médico-Legal) de Campinas, no interior. A droga era avaliada em R$ 400 mil na época.

Sequestradores de Celso Daniel e Washington Olivetto
Outros procurados têm relação com casos emblemáticos, como Elcyd Oliveira Brito, o ‘Jonh’, condenado pelo sequestro e assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel (PT), em 2002. O sentenciado de 31 anos é fugitivo de uma unidade prisional em Pacaembu, no interior, em 4 de agosto de 2010, onde cumpria pena em regime semiaberto.

Entre os principais procurados também estão os sequestradores do publicitário Washington Olivetto, em dezembro de 2001. O chileno Marco Rodolfo Rodrigues Ortega, de 37 anos, e o colombiano Willian Ganoa Becerra, de 40, condenados a 30 anos pelo crime, cumpriam pena na Penitenciária de Itaí, no interior, para onde não voltaram mais após receberem o benefício da saída temporária em 11 de outubro de 2010.

Casos de estupro
Três dos mais procurados aparecem envolvidos em crimes sexuais. O mais conhecido deles é o ex-médico Roger Abdelmassih, especialista em reprodução humana. Foi condenado a 278 anos de prisão por estupro de suas pacientes, apesar de se dizer inocente. Apesar do decreto e do mandado de prisão contra ele, ainda não se apresentou ou foi capturado.

Outro que aparece como procurado por estupro é Manoel Lopes de Araújo, de 43 anos. Ele é suspeito de abusar e também sequestrar uma menina de 8 anos para fins sexuais em 2010. A criança era mantida em cárcere dentro de um guarda roupas e escapou após avisar a Polícia Militar pelo número de telefone 190.

Mais recentemente, a polícia colocou no seu site oficial a foto de Edson Bezerra de Gouveia, de 35 anos, chamado ‘Gigante’ ou ‘Buda’ por causa dos seus mais de 2 metros de altura. Ele é suspeito de estuprar e assassinar a vendedora Vanessa de Vasconcelos Duarte, de 25 anos. O corpo dela foi achado em 13 de fevereiro em Vargem Grande Paulista, na Grande SP.

Casos do músico e Mércia
Em se tratando de crimes passionais, o que teve mais apelo na mídia foi o caso Mércia. Mizael Bispo de Souza, 41, e o vigia Evandro Bezerra Siva, 39, são réus no processo no qual estão sendo acusados de matar a advogada Mércia Nakashima em 2010. A Justiça decidiu levar os dois a julgamento popular pelos crimes. Eles negam a autoria, mas continuam escondidos e são procurados.

Procurado desde novembro de 2008 pela morte da ex-namorada, o músico Evandro Gomes Correia Filho, 37, chegou a causar revolta na polícia quando convocou a imprensa para uma entrevista fantasiado como o cantor Raul Seixas durante o período eleitoral em outubro do ano passado. Usando peruca e barba postiças, além de óculos escuros, ele deu entrevista e não pôde ser preso porque a lei eleitoral não permitia prisões no período, salvo prisões em flagrantes. 

Sala de arquivos com mandados de prisão da Divisão de Capturas (Kleber Tomaz/G1)

Perfil dos mais procurados e dados
Alguns dos 25 mais procurados pela polícia paulista estão envolvidos em 19 casos de assassinatos, quatro sequestros, três estupros, dois assaltos, dois tráficos de entorpecentes e um latrocínio.

Oito deles são condenados fugitivos de unidades prisionais no estado de São Paulo. Quinze são paulistas e três, estrangeiros. O mais velho é Abdelmassih, com 67 anos, e o mais novo Diego Fernando Mendes, de 26.

De acordo com dados estatísticos da Secretaria da Segurança Pública, São Paulo tinha 152.168 mandados de prisão a cumprir até o dia 28 de fevereiro deste ano. Como uma mesma pessoa pode ter vários mandados contra ela, não é possível se determinar, ainda, quantas pessoas são procuradas no estado.

Dentre os mandados de prisão pendentes de cumprimento em São Paulo, 123.400 são referentes a questões criminais e outros 28.768 mil a condenações na esfera cível.
Só na capital, há 23.243 mandados judiciais ainda não cumpridos, enquanto no interior paulista o total de ordens de prisão ainda não executadas chega a 65.657. Há também, 34.500 ordens comunicadas por outros estados pendentes de solução.

Por esse motivo, a Divisão de Capturas iniciou há dois meses um mutirão para cumprir os mandados pendentes. “Estamos fazendo um mutirão para cumprir esses mandados. Alguns são de mais de 20 anos atrás e já prescreveram, outros são contra pessoas que já morreram ou estão presas por algum crime. Pedi uma auditoria para fazer uma triagem dos casos dos últimos 20 anos, de 1991 para cá. Tem mandados dos anos de 1970 e casos de pessoas que nasceram em 1906 e são procuradas. Essa pessoa teria 105 anos hoje”, disse o delegado Waldomiro Milanesi.

A Divisão de Capturas também estuda uma parceria com os responsáveis pelos retratos falados para fazer um tratamento de envelhecimento dos rostos dos procurados nas fotos. No site da polícia também estão os retratos falados de pessoas que são procuradas e fotos de desaparecidos.

Tenta parceria com o Tribunal de Justiça de São Paulo e as secretarias da Segurança Pública e da Administração Penitenciária para que o mandado de prisão seja comunicado de forma online pela internet. Isso evitaria um trâmite que leva, em média, até uma semana, da expedição do decreto da prisão pela Justiça até o comunicado à Divisão de Capturas.

Correndo contra o tempo, Milanesi afirmou que pretende desencadear mais operações para cumprir os mandados de prisão. Nos últimos meses, ele montou uma força tarefa com seus 40 policiais para cumprir mandados pendentes envolvendo procurados por latrocínio. “Cumprimos 27 dos 57 mandados de prisão expedidos em 2009 e 2010”.

A polícia pede para quem tiver alguma informação sobre o paradeiro dos procurados citados nessa matéria ligar para os números de telefone: 181 (Disque –Denúncia), 197 (Polícia Civil), 190 (PM) ou mandar um email para procurados@policiacivil.sp.gov.br.

Operação Carnaval reforça segurança para garantir folia

Portal do Governo do Estado de São Paulo

Qui, 03/03/11 – 16h00

O policiamento será reforçado em todo o Estado de São Paulo para a Operação Carnaval, no período de 4 a 9 de março, com a expectativa de emprego de 84 mil policiais militares e aproximadamente 27 mil viaturas – entre carros e motos.

A operação será realizada com a intensificação e integração dos Programas de Policiamento (Escolar, Comunitário, de Trânsito e Motocicletas), Radiopatrulhamento e Força Tática a fim de manter a ordem pública durante todo o período de festa e comemorações.

Participarão da Operação Carnaval todos os batalhões de Policiamento do Estado (com seu efetivo intensificado); Policiamento Rodoviário; Policiamento Ambiental; Corpo de Bombeiros; Policiamento de Choque (montado e com cães); além do apoio do Grupamento Aéreo e de unidades administrativas.

Durante o período, os militares contarão com oito aeronaves, sendo cinco no litoral, 686 cães e cavalos, além de 334 embarcações, para garantir a tranquilidade e segurança pública e reduzir os índices criminais recorrentes nessa época do ano.

Além do reforço em instrumentos e força policial, a operação atuará em conjunto com outras quatro ações já aplicadas no estado: Operação Direção Segura, Praia Segura, Visibilidade e Cavalo de Aço.

Nas áreas urbanas é desenvolvida a Operação Direção Segura que conta pelo terceiro ano consecutivo com os aparelhos de medição alcoólica no sangue, o “bafômetro”. Nesta ação, os policiais atuam próximo aos eventos relacionados ao carnaval, no entorno e nos acessos desses locais coibindo os acidentes de trânsito. Além disso, o Comando de Policiamento da Capital atua dentro e fora do sambódromo.

O Corpo de Bombeiros, em conjunto com a Polícia Militar Ambiental, intensificará a Operação Praia Segura, por meio de um mapeamento das áreas com maior número de afogamentos (praias/represas) e orientação aos banhistas. Devido a essa operação, o número de afogamentos registrou queda de 12% de 2009 para 2010.

Para o início e final do feriado a polícia intensificará a fiscalização nos aeroportos, estradas e terminais rodoviários, com o objetivo de prevenir os acidentes de trânsito.

Além dessas, a Operação Cavalo de Aço auxiliará com a vistoria de motocicletas, visando o combate a criminalidade, e o Comando de Policiamento de Choque apoiará o Comando da Capital e também reforçará o policiamento no acesso à rodovia Anchieta. Além disso, as Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota) e as Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam) intensificarão o policiamento no litoral, principalmente nas cidades de Santos, São Vicente, Praia Grande e Guarujá.

Tanto o mega evento do sambódromo, quanto os carnavais de rua e das praias serão monitorados por ações policiais, as quais estimam a circulação de aproximadamente 7 milhões de turistas pelas estradas.

Essas ações de segurança foram reforçadas com a Operação Pré Carnaval realizada por policiais civis da região de Ribeirão Preto, no último dia 24.

Uma ação semelhante foi realizada na região de Campinas, resultando em 33 prisões em flagrante e 26 capturas de procurados, além da apreensão de entorpecentes e armas de fogo. Em maior escala, a Operação de Ribeirão Preto envolveu as oito delegacias da região e resultou na prisão de 271 pessoas, apreensão de 20 adolescentes infratores, além da captura de três armas de fogo e 2,1 quilos de droga.

A Polícia Civil ainda atuará neste carnaval com esquema de policiamento reforçado e aumento do efetivo nos plantões policiais e unidades prisionais de todo o Estado. Somente na divisão de portos e aeroportos trabalharão 130 policiais em regime de plantão, distribuídos em grupos de 60, para cada dia de carnaval.

No sambódromo será montada uma Delegacia de Atendimento ao Turista (DEATUR), que funcionará nos dias de desfiles, apuração e desfile das campeãs. Esta unidade contará ainda com policiais bilíngües e trilíngues para orientar os turistas e uma sala para abrigar temporariamente os presos em flagrante.

Um balanço comparativo da Polícia Civil mostra que sua atuação no carnaval de 2010 registrou queda nos índices criminais em relação a 2009. Os crimes contra o patrimônio caíram 6,11%, sendo registrados 534 na Capital, 342 na Grande São Paulo e 677 no Interior.

Os furtos, registrados em maior quantidade na região interiorana, caíram 5,66%, já os roubos foram reduzidos a 1.865 registros em 2010, no ano anterior foram informados 2.298 ocorrências pelos civis, totalizando queda de 18,84%. O índice com maior queda é o de acidentes de trânsito com vítima fatal, que caiu 34,26%.

Da Secretaria da Segurança Pública

Maioria dos índices de criminalidade apresenta queda em SP em 2010

A maioria dos índices de criminalidade registrou queda no estado de São Paulo em 2010 em comparação com o ano anterior, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública. A taxa de homicídios caiu 4,5% no ano passado: de 10,96 para cada 100 mil habitantes, índice registrado em 2009, para 10,47 por 100 mil. Desde 1999, quando a taxa era de 35,27/100 mil, a queda foi de 70,3%.

Apesar da redução, o índice ainda se encontra dentro do patamar de violência epidêmica, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), de mais de 10 homicídios por 100 mil habitantes.

Em números absolutos, o estado teve 4.320 casos de homicídios dolosos em 2010. Em 1999, foram 12.818 casos. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (31). No último trimestre de 2010, os homicídios caíram 5,65% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O tráfico de drogas e o estupro foram as ocorrências que apresentaram elevação no período de um ano. Os dados mostram que houve um aumento de 75%, atribuído à nova legislação que tipifica o estupro, que passou a incluir casos de atentado ao pudor e ato obsceno, segundo a SSP.

Tentativas de homicídio: a secretaria diz que, em 2010, houve redução de 2,96% no crime, com 153 casos a menos do que no ano anterior. Foram registradas 5.023 tentativas de homicídios em 2010, contra 5.176, em 2009.

Latrocínio (roubo seguido de morte): em comparação com 2009, os registros do crime caíram 16,5% no estado, de 303 para 253 casos. De outubro a dezembro de 2010, os roubos seguidos de morte caíram 3,85%, de acordo com os dados oficiais.

Roubos de cargas: a secretaria afirma que diminuíram 6,2%, com menos 482 casos que os registrados em 2009. Porém, as ocorrências do crime cresceram 8,04% no último trimestre de 2010, comparando com o mesmo período do ano anterior.

Roubos de veículos e em geral: os roubos de veículos retrocederam 4,54% em 2010, segundo os dados, com menos 3.262 casos em relação ao ano anterior. Levando em conta apenas o quarto trimestre de 2010, no entanto, os roubos de veículos cresceram 7,08% em relação ao mesmo período de 2009. Já os roubos em geral recuaram 9,47% no ano passado todo, com menos 23.591 casos.

Roubos a banco: tiveram queda de 16,6%, com registro de 211 casos em 2010, contra 253 em 2009. Apenas no último trimestre do ano passado, o número de casos diminuiu 32,43% em relação ao mesmo período de 2009.

Furtos: registraram queda de 4,26% em relação a 2009, com redução de 22.530 casos. O número de furtos de veículos em 2010 caiu 4,32%, com 4.552 casos a menos do que o registrado no ano anterior. Considerando apenas o último trimestre de 2010, os furtos de veículos aumentaram 5,53% em relação ao mesmo período de 2009.

Tráfico de entorpecente: a secretaria diz que houve um aumento de 9,09% nas ocorrências do crime, com 2.535 a mais em relação ao ano anterior. Foram registrados 30.421 flagrantes de tráfico de drogas em 2010, contra 27.886 em 2009.

Estupro: os dados mostram que houve um aumento de 75% dos casos do crime, mas a secretaria explica que a nova legislação que tipifica o estupro passou a incluir casos de atentado ao pudor e ato obsceno, por isso o crescimento. Segundo o governo do estado, apenas quando a legislação completar um ano de existência, no segundo semestre de 2011, será possível verificar se o número de estupros está, de fato, em alta ou em baixa.

Fonte: G1

Três oficiais da reserva da PM tomam posse hoje; contando todas as regionais e secretarias, já são 78 policiais na administração municipal

Paulo Saldaña – O Estado de S.Paulo

A presença da Polícia Militar continua em expansão na Prefeitura de São Paulo. Mais três subprefeituras da cidade – Casa Verde, na zona norte, Pirituba-Jaraguá, zona oeste, e Guaianases, na zona leste – vão passar para o comando de coronéis da PM partir de hoje. Das 31 administrações regionais, atualmente 16 titulares são da reserva da PM.

A expansão dos policiais militares não se restringe aos principais cargos das subprefeituras. Outros três oficiais assumem no mesmo dia como chefes de gabinetes dessas regionais. Com a movimentação desse começo de ano, já são 20 oficiais na chefia de gabinete e 23 em posições de segundo escalão, como coordenadorias de planejamento e desenvolvimento urbano ou de projetos e obras.

Dos novos três coronéis subprefeitos, apenas Robert Eder Neto, que será o titular em Guaianases, integra pela primeira vez a administração municipal. Neto, de 51 anos, foi diretor de Logística da PM, comandou o policiamento de Osasco e região, na Grande São Paulo e teve uma longa atuação na Corregedoria até entrar para a reserva no ano passado. “Tenho conhecimento do serviço público em virtude de 36 anos na polícia”, disse ele, que visitou duas vezes a subprefeitura de Guaianases nesta semana para “tomar pé da situação”.

Indicação. O coronel assume a gestão de um local pobre, onde estão bairros como o Jardim Romano, que no ano passado sofreu com inundações, em alguns casos, em áreas invadidas. “A região é carente, faz parte da nossa atividade coibir novas invasões.” De acordo com Neto, o convite para o cargo deve ter partido da indicação dos próprios oficiais que já atuam na Prefeitura – uma vez que ele afirma não ter ligação direta com o secretariado ou com o prefeito Gilberto Kassab (DEM).

O novo subprefeito de Pirituba-Jaraguá, o tenente-coronel Sérgio Carlos Filho, era chefe de gabinete da Subprefeitura Jaçanã-Tremembé desde maio. Ingressou na administração municipal em 2009 na coordenadoria de administração e finanças da Subprefeitura de Perus. Já o coronel Airton Nobre de Mello era chefe de gabinete da Casa Verde e assume agora como seu titular. Ambos preferiram não falar antes de assumir.

Fardados. As mudanças envolvendo oficiais da PM incluem a transferência do coronel Fernando de Souza Brito da chefia de gabinete da Subprefeitura de Guaianases para a de Pirituba-Jaraguá. Ao todo, 57 oficiais aposentados trabalham nas subprefeituras. Contando as vagas em outras secretarias da administração municipal, os policiais já chegam a 78. Já há mais oficiais da reserva trabalhando na administração municipal que coronéis na ativa – são 61 atualmente na Polícia Militar em todo o Estado. Eles só assumem a vaga depois que passam para a reserva.

Em um ano, o total de oficiais da reserva exercendo a função de subprefeito se multiplicou por cinco e o número de policiais na máquina municipal dobrou. A Prefeitura argumenta que o critério de escolha dos policiais militares é exclusivamente sua capacidade gerencial.

O emprego dos coronéis nas subprefeituras ocorre paralelamente à mudança de papel das subprefeituras realizada pela atual gestão. Kassab voltou a centralizar a administração, diminuindo o orçamento e tarefas das regionais. Cabe às subprefeituras atualmente cumprir tarefas de zeladoria, serviços de tapa-buraco e cortes de vegetação.

PARA ENTENDER -Estratégia surgiu após escândalo

A estratégia de usar quadros da PM na Prefeitura teve início em julho de 2008, com a indicação do coronel Rubens Casado para a Subprefeitura da Mooca. Casado foi para a administração um dia depois do escândalo de propinas envolvendo fiscais e camelôs.
Para tentar diminuir a sensação de desordem e melhorar a eficiência dos serviços de zeladoria, a presença da PM se disseminou rapidamente. A parceria se intensificou quando, em 2009, a gestão criou a Operação Delegada (conhecida como “bico oficial”).